top of page

CONTRIBUIÇÕES AOS GAÚCHOS PARA A RECONSTRUÇÃO DO RIO GRANDE DO SUL

Considerando a notória credibilidade, capilaridade e experiência com projetos sociais no Brasil durante mais de 100 anos, vale apoiar a arrecadação de recursos financeiros pelo Rotary, que criou uma chave PIX oficial e única (rotarydors@gmail.com) para receber dinheiro a ser distribuído aos distritos do Rotary localizados no Estado do Rio Grande do Sul, onde, desde o final de abril de 2024, chuvas avassaladoras seguidas de enchentes excepcionais arrasam inúmeras localidades.


Mesmo após duas semanas desde o início, a tragédia sem precedentes impacta uma área extensa e perdura sem uma perspectiva de término. Esta calamidade começou com uma quase que inacreditável concentração de nuvens, que gerou chuvas medonhas sobre o Vale do Taquari na região central do Estado do Rio Grande do Sul. As precipitações gigantescas e totalmente anormais devastaram inúmeros municípios e a enorme quantidade de água escoou para o Guaíba em Porto Alegre, que foi em seguida inundada, tanto pelas fortes chuvas sobre Porto Alegre, que não tem saída para o Oceano Atlântico, quanto pelo excesso de água no Guaíba, que desemboca na Lagoa dos Patos. Esta lagoa costeira é uma das maiores do mundo. Sua grande largura e seu comprimento extenso podem reduzir o impacto do incrível escoamento até o estuário na região sul do estado. Este abrandamento pode entretanto ficar comprometido quando há uma direção desfavorável de ventos, o que pode agravar as enchentes em Pelotas, Rio Grande e outras localidades, mesmo se aquela região estiver sem chuvas ou até mesmo estiver ensolarada.


Impressiona o vulto, a forma multifacetada e o entrelaçamento nesta tragédia histórica de chuvas e enchentes no Estado do Rio Grande do Sul. Ao contrário das enchentes no Vale do Taquari, quando a água das fortes chuvas subiu ao ponto de até encobrir telhados, o nível da água nas enchentes posteriores em áreas planas no sul (na região de Pelotas e na cidade do Rio Grande) é bem menor, embora as consequências atinjam uma área muito maior. Em ambos os casos, há devastação, sofrimento da população e desabastecimento. A catástrofe afeta no curto e no longo prazo pessoas independentemente da renda, escolaridade e característica dos imóveis, reforçando o fato de que ninguém está livre de ser prejudicado por uma tragédia e precisar de ajuda de terceiros.


Além de enviar pensamentos positivos e rezar, há outras formas de contribuir para reduzir o sofrimento da população gaúcha e colaborar para reconstruir as regiões devastadas. É recomendável comprar produtos de empresas no Estado do Rio Grande do Sul, incluindo alimentos, vestuário, doces e vinhos, por exemplo. Assim que for possível viajar, escolher localidades no Estado do Rio Grande do Sul como destino turístico, pois o turismo é uma atividade que fomenta negócios variados e gera muitos empregos. Investidores na bolsa de valores devem investir em empresas com sede ou atividades no Estado do Rio Grande do Sul ou pelo menos evitar vender tais ações, quando for viável. A legislação permite que na declaração completa de imposto de renda pessoa física haja um direcionamento de recursos a um fundo municipal ou estadual em prol de idosos ou de crianças e adolescentes. São louváveis doações diretas de bens e dinheiro a pessoas ou organizações conhecidas! Sem esgotar a lista de ações solidárias, novamente recomendo apoiar o povo no Estado do Rio Grande do Sul por meio do Rotary com a chave PIX oficial e única: rotarydors@gmail.com.

 

Marcelo Henriques de Brito

Administrador, Tec. Contábil., Engenheiro, Ph.D., CNPI, CFP®, sócio da PROBATUS Consultoria,

Companheiro do Rotary Club do Rio de Janeiro e Professor do Ibmec-Rio

159 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page